Exército Brasileiro - Veja como é a hierarquia do Exército Brasileiro!


O Exército Brasileiro é a parte das Forças Armadas do Brasil responsável por proteger as fronteiras do país e atuar na manutenção da ordem nacional.

 Exército Brasileiro é parte das Forças Armadas do Brasil — compostas também por Aeronáutica e Marinha. Tem como função atuar na defesa da soberania das fronteiras e do território nacional, além de manter a ordem e os respeitos aos princípios constitucionais e atuar no atendimento da população em situações emergenciais.

Sua fundação aconteceu em 1822, com a independência do Brasil. O Exército atuou em acontecimentos marcantes de nossa história, como a Guerra do Paraguai e a proclamação da república. Possui uma organização extensa e complexa, sendo dividido em diversos comandos militares, espalhados pelo país. Possui cerca de 360 mil soldados ativos.

Resumo sobre o Exército Brasileiro

  • O Exército Brasileiro é uma das forças militares que compõem as Forças Armadas do Brasil.

  • É o responsável pelas ações militares terrestres.

  • Tem como função proteger a soberania das fronteiras e do território nacional.

  • Atua na manutenção da ordem e na defesa dos princípios constitucionais, devendo também atender a população.

  • Possui cerca de 360 mil soldados na ativa e mais de 1 milhão de reservistas de prontidão.

Qual é a missão do Exército Brasileiro?

O Exército Brasileiro é uma das forças que integram as Forças Armadas do Brasil, atuando em conjunto da Marinha e da Aeronáutica. Um dos papéis que o Exército desempenha é o de garantir a soberania do Brasil, protegendo suas fronteiras e o seu território; além de atuar como mantenedor da ordem, do respeito aos princípios constitucionais, podendo e devendo ser mobilizado também para o atendimento da população mais carente e em contextos emergenciais.

A Constituição Federal determina que o comandante supremo do Exército Brasileiro é o presidente da república, sendo uma obrigação dessa força obedecer às determinações dessa autoridade. É papel do presidente realizar a nomeação do comandante do Exército, assim como nomear os comandantes da Marinha e da Aeronáutica.

Atualmente, o Exército Brasileiro, assim como todas as Forças Armadas, está sob o comando do Ministério da Defesa, e é assim desde 1999. Entretanto, nem sempre foi assim. Entre os anos de 1822 e 1967, o Exército era parte do Ministério da Guerra, e, entre 1967 e 1999, era responsabilidade do Ministério do Exército.

Os papéis realizados pelo Exército Brasileiro são de estratégica importância para o Brasil, assim, é necessário que essa força possua soldados de prontidão, preparados para atuar em qualquer eventualidade. Por isso, estima-se que o Exército Brasileiro tenha cerca de 360 mil soldados efetivos e 1,34 milhão de soldados reservistas, que podem ser convocados a se apresentar, caso necessário.

O Exército entende que sua atuação se divide em Braço-Forte e Mão-Amiga, conceitos usados para referir-se às atuações do Exército na defesa do território e de suas fronteiras e em atendimentos da população, como os atendimentos sanitário e médico.

Veja também: Questão militar — divergências entre os militares e a monarquia brasileira depois da Guerra do Paraguai

História do Exército Brasileiro

Oficialmente entende-se que o Exército Brasileiro surgiu com a independência do Brasil, em 1822. A transformação de nosso país em nação independente fez com que as forças que formavam o Exército Português aqui se fragmentassem, e uma parte delas deu origem ao nosso Exército. Essa força foi importante para consolidar o processo de independência do nosso país.

Isso porque, durante o processo de independência, uma parte das forças políticas e militares manteve-se leal a Portugal, o que deu início às Guerras de Independência, travadas aqui entre os anos de 1822 e 1824. As batalhas ocorreram nas regiões Norte, Nordeste e na Cisplatina (atual Uruguai, mas, na época, território brasileiro).

A princípio também foi necessário ao Brasil recorrer a soldados mercenários como meio de ampliar a força militar e dar sustentação à luta pela independência. Posteriormente, o Exército Brasileiro teve atuação importante no controle de revoltas e conflitos que aconteceram no interior do Brasil, como a Guerra dos Farrapos, a Balaiada e a Cabanagem.

O Exército Brasileiro também atuou em conflitos internacionais, como a Guerra da Cisplatina e a Guerra do Paraguai. Esse último conflito foi um divisor de águas na história do Exército Brasileiro, pois permitiu sua maior profissionalização; transformou-o em um ator importante da nossa política; e colocou seus representantes (os militares) no centro da crise política que resultou na derrubada da monarquia, no final do século XIX.

Os militares tiveram importante participação no processo de derrubada da monarquia, e os dois primeiros presidentes do Brasil durante o período republicano — Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto — eram oriundos do Exército Brasileiro, pois eram marechais.

No século XX, o Exército participou de importantes acontecimentos da história brasileira, envolvendo-se constantemente em movimentos golpistas que contribuíram para desestabilizar o sistema político de nosso país. Membros do Exército estiveram envolvidos em eventos como:

  • Revolução de 1930;

  • Golpe do Estado Novo;

  • Deposição de Getúlio Vargas, em 1945;

  • Golpe Civil-Militar de 1964.

Este último foi um capítulo à parte não só do Exército Brasileiro, mas das Forças Armadas do Brasil, pois contribuiu para a instalação de uma ditadura, que se estendeu de 1964 a 1985, e estabeleceu um dos períodos mais tenebrosos da história brasileira, devido ao autoritarismo e aos abusos sofridos pela população brasileira por parte de governos militares, que torturam e mataram milhares de brasileiros.

Hierarquia do Exército Brasileiro

Todo membro do Exército tem a possibilidade de ascender na hierarquia militar, assumindo patentes altas e que possuem grande e estratégica importância. As patentes existentes no Exército Brasileiro são as seguintes:

  • marechal;

  • general do Exército;

  • general de divisão;

  • general de brigada;

  • coronel;

  • tenente-coronel;

  • major;

  • capitão;

  • 1º tenente;

  • 2º tenente;

  • aspirante a oficial;

  • subtenente;

  • 1º sargento;

  • 2º sargento;

  • 3º sargento;

  • cabo;

  • taifeiro-mor;

  • taifeiro de 1ª classe;

  • taifeiro de 2ª classe;

  • soldado.

Organização do Exército Brasileiro

O Exército Brasileiro é uma das instituições mais importantes e estratégicas em nosso país, devendo, portanto, ter uma estrutura organizativa ampla, complexa e eficiente. A direção-geral é realizada pelo Alto Comando do Exército, responsável direto pelo controle e comando das forças terrestres.

→ Alguns órgãos do Exército

Importantes órgãos do Exército são:

  • Estado-Maior do Exército;

  • Comando de Operações Terrestres;

  • Conselho Superior de Finanças;

  • Conselho Superior de Tecnologia da Informação.

Existem, além desses, muitos outros órgãos militares.

→ Comandos militares

Devido às dimensões continentais do Brasil, os comandos militares do Exército Brasileiro são espalhados por todo o país e são divididos por regiões estratégicas. São os seguintes:

  • Comando Militar da Amazônia;

  • Comando Militar do Leste;

  • Comando Militar do Planalto;

  • Comando Militar do Norte;

  • Comando Militar do Nordeste;

  • Comando Militar do Oeste;

  • Comando Militar do Sudeste;

  • Comando Militar do Sul.

Cada um desses comandos também possui as Regiões Militares, que estão sob o controle direto daqueles.

Créditos da imagem

[1] Ariadne Barroso e Shutterstock

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.